segunda-feira, setembro 26, 2005

Taça UEFA 1982/1983 - parte I (chegada aos quartos de final)

Não há dúvida que o meu benfiquismo foi fortemente marcado pelas épocas de 82/83 e 83/84, onde para além da excelente equipa que o Benfica possuia, o treinador era aquele que eu considero o melhor treinador que o Benfica teve, desde que me lembro - Sven-Goran Eriksson. Em Portugal, e até à data, só mesmo o José Mourinho poderá disputar o estatuto de melhor treinador de uma equipa portuguesa. Ainda assim, em relação a Mourinho, Eriksson tem uma grande vantagem: é um verdadeiro gentleman. Ainda me lembro que, sempre que ele era entrevistado, fazia sempre um sorriso antes de começar a responder às perguntas. Um dos grande feitos do Eriksson foi ter devolvido ao Benfica o estatuto de grande clube europeu, através da magnifica campanha na edição 1982/83 da Taça UEFA.Começo por relembrar o percurso até aos quartos de final (exclusivé... a eliminatória com a AS Roma fica para outra "posta").
  • 1ª eliminatória (Benfica-2, Bétis-1 / Bétis-1, Benfica-2):
    Da primeira mão, lembro-me essencialmente do resultado e do facto de, estando a ganhar por 2-0 até perto do final do jogo - golos de Nené (penalty) e Padinha (das poucas coisas de jeito que terá feito no Benfica... ) e de o Benfica ter consentido o golo do Bétis já relativamente perto do fim (transformando um confortável 2-0 num incómodo 2-1).
    Da segunda mão, lembro-me de o Benfica sofrer o 1-0, de estar a perder por esse resultado ao intervalo (que eliminaria o Benfica, caso o jogo terminasse naquele momento), de começar a 2ª parte e os meus pais me obrigarem a ir tomar banho (eu sabia que tinha de ir, mas o jogo estava demasiado emocionante para perder um segundo que fosse...). Uma vez que os meus pais estavam determinados em que eu cumprisse os meus deveres higiénicos e eu determinado em ouvir o jogo, levei o pequeno transistor com o qual costumava ouvir os relatos para o banho... E foi lá que berrei o golo do empate do Benfica (do Carlos Manuel)! Já depois de sair do banho o Benfica ainda alcançou a vitória, com um golo do Nené, abrilhantando assim a vitória na eliminatória com uma vitória difícil no campo do adversário, e ainda por cima, recuperando de uma situação de desvantagem.
    Recentemente, li - não me recordo onde, mas acho que no já mencionado livro "A Luz Não Se Apaga" - o testemunho de um jogador do Benfica (se não do próprio Eriksson) a propósito desta 2ª eliminatória: o Benfica estava a perder ao intervalo por 1-0, e os jogadores pareciam resignados, ainda para mais estando a jogar fora, era como se houvesse pouco a fazer. Nesse intervalo, Eriksson ter-lhes-á dado um "puxão de orelhas", exigindo que jogassem fora da mesma maneira como jogavam em casa, salientando que não havia qualquer razão para que não o fizessem, sobretudo sendo superiores ao adversário e necessitando de marcar. Acho que este testemunho caracteriza bem a filosofia do Eriksson e a razão pela qual o Benfica foi tão bem sucedido sob o seu comando.
(As seguintes fotos, referentes ao golos do Benfica no jogo da 2ª mão, em Sevilha, são cortesia do S.L.B.)

O golo do empate (1-1)


O golo da vitória (1-2)


  • 2ª eliminatória (Benfica-2, Lokeren-0 / Lokeren-1, Benfica-2):
    Não me recordo muito bem dos jogos desta elimitória frente esta equipa belga, mas tenho a ideia que a vitória na 1ª mão foi tranquila (golos de Nené e Pietra).
    Na 2ª mão, em que o Benfica chegou a estar a perder por 1-0, "surgiu" Filipovic, que veio a ser a grande figura do Benfica nessa edição da Taça UEFA, ao marcar os 2 golos do Benfica que garantiram mais uma vitória e mais uma recuperação de um resultado desfavorável fora de casa (embora neste caso, o resultado da 1ª mão garantia o apuramento, caso o jogo terminasse naquele momento). Ou seja, o importante mesmo foi não só o apuramento mas o facto de o Benfica, ao ganhar, demonstrar mais uma vez a sua superioridade sobre o adversário, no terreno deste.

  • Oitavos de final (FC Zürich-1, Benfica-1 / Benfica-4, FC Zürich-0):
    Assisti ao jogo da primeira mão pela televisão e tenho a vaga ideia de que o Zürich, jogando em casa, terá sido quem mais atacou. Acabou por marcar já durante a 2ª parte, por intermédio de Wynton Rufer (jogador neo-zelandês que, mais tarde, se destacou no Werder Bremen). O Benfica reagiu, e acabou por empatar já perto do fim, com um golo do Filipovic, na recarga a um remate do Nené, creio que ao poste (e na sequência de um canto). Sem ser óptimo, o resultado servia naturalmente os interesses do Benfica. Ainda assim, fiquei ligeiramente desapontado por o Benfica não ter ganho o jogo...
    O jogo da 2ª mão segui através de relato. O Benfica fez o 1-0 relativamente cedo, com um golo do grande Filipovic. Na segunda parte, o Benfica partiu para a goleada: golos de Diamantino (outro grande jogador, que na altura era muitas vezes utilizado como ponta-de-lança) e Nené (dois golos, 1 deles de penalty, já próximo do fim). Não sendo o Zürich propriamente uma equipa de topo europeu, não deixei de ficar orgulhoso com o facto de o Benfica ter alcançado uma goleada numa fase já relativamente avançada de uma prova europeia.
Cenas do próximo capítulo: eliminação da AS Roma...

PS: desta vez, fiz um pouco de batota para escrever alguns dos factos aqui relatados. De qualquer forma, o mais importante não são os factos exactos em si mas a importância que para mim tiveram estas vitórias e a recordação que tenho disso mesmo.

10 Comments:

At 1:05 da tarde, Blogger S.L.B. said...

Quando chegares ao jogo contra o Anderlecht, relato-te a minha memória do nosso golo.

A história do banho e do Bétis é engraçadíssima. Lembro-me de ter ouvido o relato do Benfica-Lillestrom (Taça das Taças em 86/87) já deitado na cama e às escondidas da minha mãe, já que o meu pai estava no estádio. Ganhámos por 2-0, mas eu não pude gritar muito os golos por motivos óbvios! :-)

Entretanto, já tenho os resumos da época 82/83 gravados em DVD (vou "postar" proximamente com um upgrade deste projecto). Da campanha europeia toda, só me falta o resumo do Benfica-Zurique (julgo que na altura havia uns problemas com a RTP que não o chegou a dar, mas não tenho a certeza). O Filipovic foi indiscutivelmente a grande figura dessa epopeia.

 
At 2:25 da tarde, Blogger tma said...

Na 2ª mão da meia final da taça das taças de 80/81 (contra o Carl Zeiss Jena), os meus pais também me obrigaram a ir para a cama. Na altura ainda não tinha o tal pequeno transistor, pelo que os meus pais "deixaram-me" ficar acordado e puseram o relato na sala, para eu ouvir enquanto estava deitado, provavelmente na esperança que eu adormecesse entretanto... Claro que não adormeci antes de o jogo acabar!
Passados 24 anos, acho este facto extraordinário, uma vez que nenhum dos meus pais aprecia futebol e passaram assim 2 horas de "seca" só para que eu pudesse ouvir o relato sem deixar de cumprir o meu "recolher obrigatório" :-)

 
At 1:43 da manhã, Blogger Freddy said...

Obrigado pela visita lá na minha Zona Franca... Volta sempre apesar de seres benfiquista... ;)

Abraço grande!

 
At 2:35 da tarde, Blogger tma said...

Freddy, a presença de outras cores clubísticas neste blog será sempre bem vinda, mesmo que estejas em total desacordo com as minhas opiniões!
A vida seria uma chatice se todos pensassem da mesma maneira e tivessem as mesma preferências...

A única coisa que não vou tolerar neste blog será a boçalidade, mas felizmente, até agora não tenho motivos de queixa.

 
At 1:31 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Que grande Blog!!
s.l.b., como conseguiste arranjar os dvd's dessa época? foi na rtp? Gostaria imenso de ter isso, e sobretudo de ter os jogos integrais dessas épocas, uma vez que a RTP memória raramente mostra jogos anteriores a 1993...
Nunca acompanhei esses jogos pois sou de 82, mas tenho grancde interesse pelo benfica desses tempos. também por isso este blog é tão interessante para mim!

 
At 4:15 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Where did you find it? Interesting read Beforeafter cosmetic surgery photos towson saxon mens aftershave Isuzu rodeo engine Avantis virus protection downloads shikai hand body lotion fragrance free homefree insurance Types of projectors The best gps for hiking and camping Buy bextra qoclick kitchen cabinet hardware stopping wellbutrin

 
At 7:51 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Where did you find it? Interesting read bontril Blackjack&aposs Ink cartridge bci 3ebkcanon http://www.subaru-37.info hot master spa tub Chevrolet motorhome chassis service guide Hair strong vitamin hair loss solutions

 
At 12:06 da manhã, Anonymous J.Gomes said...

Boas
Eu sou desse tempo da rádio am colado ao ouvido e até faltava ás aulas pra ver o glorioso. O jogo em Roma começou ás 14h (15h)em italia.
Acho que a vitoria em Roma foi o mais dificil e o azar perseguinos na Belgica na 1ª mão da final.
Mas tão gravada ao mais tenho a campanha em que perdemos na meia final com o KarlZeiss Iena, ai sim um frango do bento num livre directo que ele "pensou" que era indirecto....lol...deu-lhe a branca.
Para finalizar quero referir que a "epoca" do transistor, quase sem futebol na tv, tinha os seus encantos e só quem uzou a caixinha ouvia os magnificos relatos dos melhores relatores radio que alguma vez existiram em Portugal
Viva o Benfica e o Futebol

 
At 8:13 da tarde, Anonymous Freire said...

A melhor equipa do SLB que vi jogar e tenho quase 42 anos. Por onde andas Benfica?

 
At 12:32 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Obrigado por Blog intiresny

 

Enviar um comentário

<< Home