segunda-feira, outubro 30, 2006

Taça dos Campeões Europeus 1983/84 (parte I)

Este é um post que já há muito estava para ser escrito... No entanto, e de acordo com a sequência cronológica que tinha em mente, ele coincidiria com a eliminatória que opunha o Benfica ao Liverpool nos oitavos de final da edição 2005/06 da Champions League, e sobre a qual um dia haverei de escrever :-) (primeira "mão": vitória por 1-0 na Luz, golão de Luisão; segunda "mão", vitória por 2-0 em Anfield Road, golões de Simão e Miccoli :-D).
A razão pela qual adiei este post (e para não ficar "parado", comecei a escrever sobre o apuramento da selecção para o Euro 1984) foi porque não me agradava muito a ideia de estar a relembrar uma eliminatória de má memória contra o mesmo adversário que o Benfica estava para defrontar.
De qualquer forma, deixo essa eliminatória contra o Liverpool para outro post. Este será sobre o percurso do Benfica até aos quartos de final da edição de 1983/84 da Taça dos Campeões Europeus.

Devo começar por dizer que, depois da excelente campanha na Taça UEFA, na época anterior, estava com grandes espectativas relativamente à TCE de 83/84.

O sorteio da 1ª eliminatória ditou-nos como adversário o Linfield de Belfast. Um adversário mais que acessível, já que o futebol norte-irlandês, do ponto de vista clubístico, tinha (e continua a ter) pouca expressão. Embora a selecção da Irlanda do Norte tivesse recentemente alcançado a fase final do Mundial de 82 (tendo inclusivamente conseguido o apuramento na 1ª fase de grupos), os seus principais jogadores (recordo-me de Pat Jennings, Armstrong, Hamilton e o jovem talento Norman Whiteside), actuavam quase todos em clubes ingleses, tal como nos dias de hoje.
Tenho uma vaga memória dos jogos desta eliminatória:
  • Primeira "mão" na Luz: o Benfica teve dificuldade em ultrapassar o "autocarro" defensivo dos irlandeses. Só com a 2ª parte adiantada é que o Benfica conseguiu "furar a muralha" e logrou inaugurar o marcador (pareço o Acácio Pestana ;-) ) - e ainda assim foi necessária a colaboração dos irlandeses, já que se tratou de um auto-golo (facto que não me recordava e que obtive por consulta aos registos desse jogo). Depois, já com a "muralha" desfeita, acabou com naturalidade por alargar a vantagem até aos 3-0 finais. O 3º golo (uma "bomba" à entrada da área), foi apontado pelo dinamarquês Manniche, tendo sido o seu primeiro em competições oficiais, se não estou em erro.
  • Na 2ª "mão", o Benfica começou mal: Diamantino, habituado a marcar golos na baliza adversária, teve a infelicidade de inaugurar o marcador com um auto-golo, colocando os irlandeses em vantagem. Mas o Benfica, mesmo sem ter a eliminatória em perigo, "puxou dos galões" e acabaria por inverter o resultado. Nesse jogo o destaque foi para Stromberg, com dois golos (primeiro e terceiro), um dos quais de grande qualidade, tal como o meu amigo S.L.B. fez questão em relembrar. O outro foi de Diamantino, que assim redimiu-se do auto-golo. Depois de estar a ganhar por 3-1, o Benfica ainda consentiu o 3-2, mas a vitória não fugiu.

O adversário seguinte foi o Olympiakos Pireus, de Atenas. O Olympiakos havia eliminado o Ajax na primeira eliminatória, pelo que era um adversário a ter em conta. A grande estrela do Olympiakos era o goleador internacional grego Anastopoulos. O que me lembro desses jogos:
  • Lembro-me que o Benfica perdeu o primeiro jogo, por 1-0 (golo precisamente de Anastopoulos, que já havia sido o 'carrasco' do Ajax na 1ª "mão"). Não me lembro muito mais, a não ser que apesar da derrota, que os comentadores diziam que o Benfica tinha todas condições para passar a eliminatória. Talvez o Benfica pudesse ter feito mais nesse jogo, mas uma derrota 0-1 não era de forma alguma comprometedora, pelo que terá preferido não arriscar sofre o 0-2 nalgum contra-ataque, e sabendo que em condições normais o Benfica, jogando em casa, dificilmente daria hipóteses ao Olympiakos
  • O segundo jogo provou, de facto, a superioridade do Benfica. Julgo recordar-me melhor desse jogo, em que o Benfica entrou a "massacrar". De tal forma que, durante a 1ª parte, o Benfica chegou aos 2-0, com golos de Filipovic e Diamantino (esta informação foi obtida com 'batota' :-) ). Não posso, mais uma vez, afirmar com certeza se assim terá sido, mas o Benfica, mesmo a ganhar por 2-0 (e de aos gregos bastar um golo para recuperarem a vantagem na eliminatória), dominou o jogo e parecia que o apuramento não iria fugir. A confirmação surgiu já na 2ª parte, com o 3-0 (que também com 'batota' sei que foi alcançado aos 75 mins. por Manniche).

O sorteio dos quartos de final colocou o Liverpool no caminho do Benfica. Fica então para o próximo post a crónica dessa eliminatória difícil de esquecer e de 'digerir'.

7 Comments:

At 10:28 da tarde, Blogger Bakero said...

Sinto uma grande alegria por este blog ter voltado à vida :-)! Valeu a pena manter o blog nos favoritos estes meses todos, apesar das não actualizações.
Espero que seja para continuar, porque para quem viveu esses anos deve ser óptimo recordar, e para os que não viveram (como eu), é fantástico "conhecer" esse Benfica dos anos 70 e 80, pela sua escrita...

Abraço

 
At 10:33 da manhã, Blogger tma said...

Obrigado, Bakero!
Dos anos 70 pouco ou nada lembro. Lembro de ouvir falar do Nené (o gajo que marcava os golos), do Chalana (o "artista"), do Humberto e do Bento, mas não me recordo de ver jogar. Mas dos anos 80 guardo as minhas melhores recordações do Benfica, ao ponto de me lembrar talvez melhor de momentos dos anos 80 do que dos anos 90 ou mesmo do início deste século.

 
At 5:09 da tarde, Anonymous O GLORIOSO said...

Bem vindo de novo com bonitas recordações. Em relação aos jogos descritos lembro-me de ir ver o jogo com os gregos. Diga-se que foi um autentico massacre desde o 1º minuto e sinceramente a vitória até acabou por ser facil, aliás no 1º jogo salvo erro fomos prejudicados com 1 penalti sobre ou o Nene, ou Diamantino.
Foi pena depois apanhar-mos o Liverpool (talvez na altura a melhor equipa europeia), com o celebre frango do Bento (atraso de Bastos Lopes e a bola a passar por baixo das pernas do "Homem de Borracha") mas isso é outra história para mais tarde.

 
At 6:50 da tarde, Blogger tma said...

Glorioso, acho que o 1º golo do Liverpool foi do irlandês Ronnie Whelan. Mas sem dúvida que o Liverpool era uma máquina de jogar à bola. Se vencer já era, à partida, extremamente difícil, tivemos ainda o azar de os apanhar numa noite de inspiração, a juntar à "abébia" inicial.

 
At 7:08 da tarde, Blogger LF said...

O frango do Bento foi na sequência de um cabeceamento (talvez de Whelan) após um canto.
Foi logo aos 9 minutos, depois do Benfica ter entrado bem no jogo.

Quanto ao Olimpiakos, lembro-me apenas do terceiro golo, num pontapé fantástico do Maniche a cerca de trinta metros da baliza do lado norte. Recordo ainda que o Benfica jogou com camisola branca e calções vermelhos, o que na altura era uma novidade (numa época em que não se mudava de equipamento assim sem mais nem menos como agora)

Um abraço

 
At 6:00 da tarde, Blogger jsbmj@clix.pt said...

Boas. Já foste a www.slbenficaimagensretro.blogspot.com? Cumps.

 
At 6:51 da tarde, Anonymous O GLORIOSO said...

Têm razão o 1º golo do Liverpool foi do Whelan, mas foi um remate fraco e á figura fora da area e a bola passou por de baixo das pernas do Bento. Teve uma das poucas noite negras.

 

Enviar um comentário

<< Home