segunda-feira, outubro 10, 2005

Taça UEFA 1982/1983 - parte III (Meia-final)

Depois de eliminar a Roma, encontrámos o Universitatea Craiova, da Roménia, na meia final.
Claro que inocentemente pensei que, se tínhamos ganho à Roma, não seria difícil ganhar a esta equipa para mim desconhecida (após algumas pesquisas, descobri que foi o representante da Roménia nas duas edições anteriores da Taça dos Campeões). Era uma das principais equipas romenas da altura (talvez uma das protegidas do regime do Ceausescu...), e convem não esquecer que 3 anos mais tarde uma equipa romena, o Steaua Bucareste, seria campeã europeia, o que demonstra que esta era uma equipa com alguma qualidade.
De facto, o Univ. Craiova revelou-se uma equipa difícil de ultrapassar.

No jogo da primeira mão, no Estádio da Luz, os romenos apostaram essencialmente na defesa, à espreita do contra-ataque, mas creio que o grande objectivo era levar a resolução da eliminatória para a Roménia.
Penso que o Benfica não teve grandes oportunidades, ao ponto de me recordar o quanto se lamentou a única oportunidade flagrante desperdiçada pelo Benfica, a 10 mins. do fim, num remate do Diamantino ao poste.
O resultado final, 0-0, era obviamente pouco conveniente para o Benfica, que teria obrigatoriamente de marcar na Roménia. Ainda assim, o facto de não termos sofrido golos não deixou de ser importante. Do que me recordo, os romenos também não se terão preocupado grandemente em marcar. Mas claro que me lembro bem do desalento por não termos sido capazes de ganhar o jogo em casa, nem que fosse 1-0.

O jogo da segunda mão, tal como o jogo em Roma, não pude acompanhar, por estar na escola a essa hora... E pior ainda, não houve maneira de saber o resultado logo, a não ser quando cheguei a casa da minha avó (para onde eu costumava ir depois das aulas). Aí fui informado do resultado e claro que logo a seguir pus-me aos pulos por toda a casa!
Segundo o meu primo que me informou do resultado, o Bento teria dado um "frango" no golo dos romenos, que os colocou em vantagem no início da 1ª parte (lembro-me mal do resumo e tenho de dar o desconto ao meu primo por ser lagarto, mas tenho uma vaga ideia de o Bento ter sido, de facto, mal batido nesse golo). E naturalmente, não me surpreendeu que o herói do Benfica tivesse sido o Filipovic, que fez o golo do empate no início da 2ª parte.

(Fotos gentilmente cedidas por S.L.B.)
Não sei se o Benfica jogou bem ou mal, mas graças à vantagem do golo fora, o Benfica alcançou a final! Ainda estava fresca na memória a final da Taça das Taças falhada dois anos antes, pelo que o simples facto de o Benfica estar (novamente, passados 15 anos) numa final de uma competição europeia fez-me sentir bastante orgulhoso por eu ser benfiquista!

8 Comments:

At 4:40 da tarde, Blogger S.L.B. said...

O resultado da 1ª mão soube a pouco, principalmente depois da eliminação da Roma. Também estava nas aulas durante o jogo na Roménia e salvo erro foi a minha mãe que me disse o resultado quando me foi buscar. O golo sofrido pelo Bento (ainda na 1ª parte) foi de facto um grande frango. A bola passou-lhe por entre as mãos na sequência de um livre. Também na 1ª parte, o Filipovic tem um remate ao poste de fora de área e durante a 2ª dominámos completamente. A seguir ao nosso golo, há um penalty descarado sobre o Stromberg que não foi assinalado, mas a 10 minutos do fim foram eles a enviar uma bola à barra. (Como calculas, revi o resumo há pouco tempo... :-)

 
At 5:07 da tarde, Blogger tma said...

Já agora, e já que gosto também de falar dos jogadores, não falei sobre o Bento, esse emblemático guarda-redes de pequena estatura mas que fazia defesas incríveis, por vezes parecia de borracha.
E também dava o seu "franguito" de vez em quando, como foi o caso deste jogo.
Mas na época de 80-81 esteve não sei quantos jogos sem sofrer golos, o que correspondeu a mais de 1000 mins imbatível (convem lembrar também que o Humberto Coelho era quem comandava a defesa e o capitão de equipa).
Desde o Bento (e do Damas, seu contemporâneo) que nunca mais houve, na minha opinião nenhum GR português com a mesma categoria.
O Stromberg lembro-me mais de ele ser aquele sueco "alto e loiro". Mas pelo que leio hoje sobre ele, seria muito do agrado do Eriksson, pois para além das qualidades físicas, desempenhava um papel táctico muito importante no meio-campo.

 
At 8:14 da tarde, Blogger D'Arcy said...

O ambiente à volta do jogo da segunda mão foi terrível. Os romenos foram para o pé do hotel onde estava o Benfica, e passaram a noite toda a fazer barulho para não deixarem os jogadores dormir.

 
At 11:26 da tarde, Blogger tma said...

D'Arcy, desconhecia esse pormenor, que é sem dúvida muito interessante e que ainda dá mais valor ao resultado obtido pelo Benfica!

 
At 12:05 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Tenho mais sorte que vocês. Tinha aulas de manhã e pude acompanhar os jogos fora pela TV. Lembro-me do Roma e do jogo contra o UC. O que se passou com o Bento foi o seguinte; ele esteve a por óleo nas mãos antes de calçar as luvas, contudo algum passou das mãos para a superfície das luvas. Daí a bola ter "escorregado" quando ele ia defender o remate. Foi meio-frango. Sim, tmb me lembro do penalty não assinalado e da barulheira frente ao hotel, ajudados por um "poeta popular" cantavam "Benfica, Benfica, dois golos chegar-nos-à". Lembro-me de ler isto no jornal do Benfica como se fosse hoje.

 
At 12:03 da tarde, Blogger José Cavra said...

O Golo dos romenos foi realmente um frango do Bento.
Eu era muito pequenino na altura, mas vi o jogo com o meu pai e lembro-me de ele estar a comentar com o meu padrinho. "Foi um grande frango, não viu ele aos murros ao poste?"

 
At 12:04 da tarde, Blogger José Cavra said...

Amigo Tma, sou benfiquista como tu mas atenção. o melhor Gr nacional de todos os tempos é o Vitor Baía.
Não vamos ser facciosos.

 
At 1:00 da tarde, Anonymous D Machado said...

Meu Deus, como me lembro dessa época em que fomos á final da UEFA. Fui ver os jogos todos á Luz, saindo de casa quatro horas antes do inicío da partida, com o "farnel", o cartão sócio e o bilhete nos bolsos de um "kispo" que se tornou talismã em todos os jogos dessa época.
Tive a felicidade em ter aulas apenas de manhã, sendo as mesmas de rendimento nulo, uma vez que a minha cabeça já estava na Luz logo quando acordava!
Betis, FC Zurich, Lokeren, Roma, U.Craiova e Anderlecht...
Chorei, chorei muito nessa noite, a qual sempre acreditei poder ver o capitão Bento (porque Humberto estava lesionado), erguendo a taça e ver no dia seguinte publicado esse momento em "A Bola".
Só que aquele espanhol naturalizado belga, de nome Lozano, desfez-nos ainda na 1ª parte, aquela que sería a possibilidade de pelo menos alimentarmos ainda mais o lindo sonho da vitoria.
Enfim, ficará sempre a esperança de um dia "vingar", apesar de tudo, os Herois de 1982/83, vencendo num qualquer palco do velho continente. Quem sabe, já este ano.

 

Enviar um comentário

<< Home